quarta-feira, 13 de abril de 2011



Mais três vítimas reconhecem homem que estuprou estudante na UFMS

Aumentar texto Diminuir texto
Paulo Xavier e Diego Alves
13/04/2011

Após a prisão de Robson Vander Lan, de 29 anos, que confessou ter estuprado uma estudante de química da UFMS (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul) no campus da universidade nesta segunda-feira, três mulheres o reconheceram como autor do mesmo crime contra elas no mês passado.
Segundo informações da delegada Christiane Grossi, da Deam (Delegacia Especializada de Apoio à Mulher), após a divulgação da foto de Robson, as outras vítimas procuraram a delegacia. De acordo com a polícia, os estupros ocorreram no bairro Nova Lima, no Aero Rancho e nas redondezas da avenida Euller de Azevedo. Porém, até o momento, Robson confessou o estupro da estudante de química.
Na apresentação de Robson na manhã de hoje, na Delegacia Geral da Polícia Civil, a delegada relatou que para cometer seus crimes Robson usava um canivete e levava as mulheres para um matagal.
Tatuagens e Prisão
Uma das características que mais contribuiu para o reconhecimento de Robson por parte das vítimas são as tatuagens que ele possui. Ao todo, de acordo com a polícia, ele possui 101 tatuagens. Sendo que a estudante da UFMS o reconheceu devido a uma tatuagem do coelhinho da Playboy que ele tem na coxa. Nas costas ele tem tatuada a seguinte frase: Sobrevivendo no Inferno.
Outra característica apontada pela estudante e que ajudou na prisão e reconhecimento de Robson foi o fato dele ter a língua presa. Familiares também confirmaram isso à polícia.
Robson foi preso na tarde de ontem pela Polícia Militar no bairro Tiradentes. A expedição do Mandado de Prisão Preventiva  foi concedido ontem pela Justiça.
Estiveram trabalhando na ação policiais da Deam, Derf (Delegacia Especializada de Roubos e Furtos), Garras e 4ª Delegacia de Polícia.
Após ser apresentado, Robson foi encaminhado para a Derf.
Caso UFMS
A estudante foi estuprada na manhã da última segunda-feira (11), por volta das 8h, quando a vítima se dirigia do bloco 11, onde estuda, para o centro de Ciências Humanas e Sociais. No trajeto existe uma ponte, próximo de onde aconteceu o estupro.
No local do crime eram visíveis roupas, um jaleco, livros, e um canivete. A estudante saiu nua da mata, com marcas de cortes nas regiões do pulso e pernas. A polícia ainda não sabe se as marcas são provenientes do canivete, amarras, ou mesmo do ato de sair do matagal, formado por galhos secos.
Segundo informações da polícia, a jovem conseguiu fugir do autor no momento em que ele deitou no chão e pediu para que ela subisse em cima do corpo dele. Ao ouvir vozes, a jovem correu e fugiu do autor. Robson não foi atrás dela e fugiu com sua bicicleta em direção à Avenida Interlagos.
Outros crimes
De acordo com a polícia, Robson é evadido do presídio semiaberto de Campo Grande desde 2009. No ano 2000, ele matou a sua namorada que estava grávida.
Alessandra de Souza

Quando tinha 12 anos, ele e outros amigos estupraram uma menina e queimaram parte do corpo dela utilizando bitucas de cigarro.

Nenhum comentário:

Postar um comentário