sexta-feira, 22 de abril de 2011

Atores de ‘Insensato coração’ posam contra a homofobia



Paola Oliveira responsabiliza a educação machista nas escolas pela intolerância / Foto: Bruna Prado / Extra

As polêmicas declarações do deputado federal Jair Bolsonaro sobre negros e homossexuais reacendem o debate da luta contra a homofobia. O tema ganhará destaque nas próximas semanas de “Insensato coração”, e atores da trama posaram apoiando o movimento, que aguarda na Câmara a aprovação do projeto que criminaliza o preconceito contra homossexuais.

Paola Oliveira responsabiliza a educação machista nas escolas pela intolerância. “É o homem que tem que ser rico, abrir a porta do carro e pagar a conta do restaurante. Por que? O certo é a mulher ir em busca da sua riqueza. Tudo que acontece de ruim, seja a violência ou a falta de respeito em relação à sexualidade, vem da falta de educação”, diz.

"É impossível acreditar que esse tipo de preconceito ainda exista", diz Ricardo Pereira / Foto: Bruna Prado / Extra

"O mundo não tolera mais esse tipo de preconceito", opina Tainá Müller / Foto: Bruna Prado / Extra

"Vivemos num país cristão. Há uma frase na bíblia que diz: 'Não julgueis para não serdes julgados'", lembra Eriberto Leão / Foto: Bruna Prado / Extra

"Antes da escola, da rua, começa a educação em casa. Não dá para jogar a culpa nos amigos. Os pais é que constroem o caráter dos filhos", diz Rodrigo Andradde / Foto: Bruna Prado / Extra

Em ‘O Melhor do Brasil’, Rodrigo Faro se veste de drag queen com direito a dancinha


RIO - Lady Gaga, Beyoncé, Madonna, Shakira, Claudia Leitte, Kelly Key e até Mulher Melancia já foram representadas por Rodrigo Faro, em ‘O Melhor do Brasil’. Mas, até hoje, nenhuma dessas performances promete superar a que o apresentador preparou para o domingo de Páscoa. Rodrigo estará vestido, ou melhor, transvestido como uma das drag queens do filme ‘Priscilla, a Rainha do Deserto’, no quadro ‘Vai dar Namoro’.

Foto: Divulgação
O rapaz que também apresenta ‘Ídolos’ estará perfeitamente montado como os personagens do longa-metragem de Stephan Elliot, sucesso no ano de 1994. Vai termaquiagem carregada, complementada por cílios postiços, e obviamente o figurino colorido e idêntico, dando a impressão de que Rodrigo saiu das telas de cinema para o palco do programa. 

Junto com toda esta indumentária, Rodrigo vai se jogar nas coreografias de ‘I Will Survive’ e ‘It’s Raining Men’, com direito a dois bailarinos para ajudarem na performance. 

Já sem a roupa de ‘Priscilla, a Rainha do Deserto’, o apresentador comanda também o quadro ‘Duelo Fura Olho’. Nele, um participante sobe ao palco com a sua atual e antiga namorada e disputam um jogo de perguntas de afinidades, no qual as moças terão que provar que sabem mais a respeito dele. 

Na outra atração de ‘O Melhor do Brasil’, que vai ao ar todo sábado, às 17h30, o quadro ‘Te Quero de Volta’ vai mostrar um amor esquecido no passado e que pode recomeçar no palco da atração

RICKY MARTIN-FOTOS


Ricky Martin está a correr mundo com a sua nova digressão e pôs toda a gente a dançar no Illinois, EUA, onde actuou nesta terça-feira.
Está mais do que visto que Ricky não tem falta de energia porque o cantor de Porto Rico, de 39 anos, não parou um minuto em palco. A Musica+Alma+Sexo World Tour inclui vários dos grandes êxitos da sua carreira, passos de dança que não acabam mais e uma dose de sensualidade acrescida.
A idade não pesa a Ricky Martin, como garantiu ao jornal "Chicago Sun Times", antes de começar o concerto. "Estou no palco com pessoas que têm 21 anos e eu sinto-me melhor que elas. Elas queixam-se: 'Ai, as minhas costas' e eu respondo: 'Quê? Vocês têm 21 anos!'", afirmou. "Tenho tido uma vida fantástica. Estive no palco desde os meus 11, 12 anos e sinto que isto é apenas o começo. Quero mais."
A digressão de Ricky Martin passa pela América do Norte, América Latina e Europa, com paragem em Portugal a 23 de Junho.
Veja as fotos do espectáculo na galeria











quinta-feira, 21 de abril de 2011


Preso suspeito de ter estuprado uma jovem de 22 anos em Joinville

Polícia desconfia que ele possa ter cometido outros estupros na região do bairro Petrópolis

Mariana Pereira | mariana.pereira@an.com.br
A polícia prendeu, na manhã desta quinta-feira, um homem suspeito de ter estuprado uma jovem de 22 anos na noite anterior. A polícia acredita ainda que ele possa estar envolvido em outros estupros e tentativas de estupros registrados na região. Isso porque as características do acusado batem com as descrições feitas pelas vítimas, todas atacadas por um homem de bicicleta.

Em depoimento a polícia, a jovem contou que estava andando perto de casa, pela rua Colombo, no bairro Petrópolis, por volta das 23h50 de quarta-feira, quando foi abordada por um homem de bicicleta, que dizia estar armado. Sob ameaça, a vítima foi levada para os fundos de uma residência e violentada sexualmente.

Depois, o agressor teria revistado a bolsa dela, em busca de dinheiro, e como não encontrou, fugiu levando o celular da vítima.

Nivaldo Manoel da Silva Júnior, de 19 anos foi preso horas depois, quando chegava em casa, às 7h55, por policiais que estavam de campana no local. Ele estava com o celular da vítima e teria confessado o crime à polícia

Unidades penais da Capital recebem projeto de prevenção e combate à homofobia



21/04/2011
A diversidade discutida através dos direitos humanos. Com este tema um projeto desenvolvido pela Secretaria de Estado de Trabalho e Assistência Social (Setas) e a Agência Estadual de Administração do Sistema Penitenciário (Agepen) está realizando ações de combate à discriminação e à violência contra homossexuais no ambiente prisional.

A iniciativa consiste em elaborar um diagnóstico aprofundado sobre questões relativas à homofobia – familiar, social e institucional – vivenciada pelos detentos e detentas para que possam ser definidas quais as intervenções necessárias para a melhoria das relações humanas dentro dos estabelecimentos penais. Orientação sobre a prevenção a doenças sexualmente transmissíveis e a Aids e capacitação de servidores penitenciários também fazem parte do programa.

Coordenada pelo Centro de Referência em Direitos Humanos de Prevenção e Combate à Homofobia da Setas, o projeto conta com o apoio do curso de Psicologia da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul. Na Agepen, é um trabalho conjunto entre a Diretoria de Assistência Penitenciária e a Diretoria de Operações, além dos diretores dos presídios.

Conforme o coordenador do Centro, Leonardo Ferreira Bastos, responsável pelo projeto, dentro das deliberações do Plano Nacional de Promoção da Cidadania e dos Direitos Humanos de LGBT [lésbicas, gays, bissexuais e transgêneros], no eixo temático de Justiça e Segurança Pública é previsto que Estado e União criem estratégias de enfrentamento da homofobia nas penitenciárias.

O coordenador ressalta que Mato Grosso do Sul é o terceiro Estado a realizar esse tipo de trabalho em estabelecimentos penais. “Temos notícias que apenas Pernambuco e Minas Gerais desenvolvem ações junto à população LGBT em presídios”, comenta. 
Fonte: Notícias MS

Homem é preso acusado de pedofilia



Ao falar com repórteres, o acusado negou o crime e disse ter sido pressionado. / Roque Navarro
21/04/2011
A ação rápida de policiais da 105ªDP após uma denúncia de pedofilia resultou na prisão de um homem de 46 anos, que teria abusado sexualmente de uma menina de apenas quatro anos, na noite de segunda-feira. O caso foi comunicado ontem de manhã ao titular da 105ªDP, delegado Marcello Braga, pelos pais da menina. Eles contaram que o acusado, que trabalha em uma creche, foi chamado para prestar um serviço na casa e teria se aproveitado de um momento de distração da mãe para cometer o abuso. “O casal me informou que o acusado foi chamado para fazer um conserto no portão do imóvel. Depois que ele foi embora, a filha deles, de quatro anos, contou o que aconteceu. A menina disse a eles: “Mãe, aquele moço que tava consertando a porta disse que ia fazer uma mágica. Foi até o meu quarto, mandou eu fechar os olhos e abrir a boca e abaixou a calça”. O fato aconteceu dentro do quarto da menina, que fica no segundo andar da casa, enquanto a mãe estava na cozinha fazendo o jantar. Uma equipe saiu para as buscas e conseguimos prendê-lo”, contou o delegado.
Para chegar ao acusado, os policiais civis foram até a creche onde ele trabalhava fazendo biscates. Eles conversaram com a diretora, que contou aos policiais que o acusado havia saído para almoçar e informou que ele morava na Estrada do Independência. “Ele foi abordado no caminho. No princípio, ele negou ter cometido o abuso. Um dos policiais se apresentou como missionário de uma igreja evangélica e disse que se de fato ele tivesse cometido esse crime seria melhor que confessasse, pois estava ali para garantir que a alma dele seria salva. Outros dois policiais disseram que o fato havia sido registrado por câmeras instaladas na casa, e então ele confessou, contando detalhadamente o que aconteceu e que era exatamente aquilo que a menina havia relatado aos pais”, explicou o delegado.
O acusado foi levado para a Delegacia do Retiro, onde foi ouvido pelo delegado Marcello Braga e preso em flagrante. De acordo com o titular da 105ªDP, o acusado vai responder por estupro de vulnerável – crime que tem pena prevista de 8 a 15 anos de reclusão. Na delegacia, o levantamento da ficha de antecedentes criminais do acusado mostrou que ele tem passagens anteriores por roubo, lesão corporal e violência doméstica. A proximidade do acusado com outras crianças, em função do trabalho na creche, preocupa o delegado, que não descarta a possibilidade do pedófilo ter atacado outras menores. “Trabalhando na creche ele pode ter cometido esse crime outras vezes, pois estava próximo às crianças. Queremos pedir aos pais que eventualmente possam ter ouvido algum relato parecido de crianças que procurem a delegacia para fazer  um possível  reconhecimento. Se ele for reconhecido por outras vítimas, novos inquéritos serão instaurados e ele poderá responder por eles também. Isso é importante, pois em caso de condenação as penas dele poderão ser somadas. A diretora da creche também será chamada para prestar depoimento e nos falar sobre o comportamento dele no trabalho”, explicou o delegado Marcello Braga.
Apesar de ter admitido em depoimento ao delegado que cometeu o crime contra a menina de quatro anos, ao ser questionado pela imprensa o acusado negou o fato e disse que foi coagido a admitir um crime que não cometeu. “Eu sou inocente, sei que ninguém acredita, mas nunca cometi isso. Eu trabalho em uma creche, rodeado de crianças... nunca fiz isso, eu tive que mentir porque eles me pressionaram”, disse.
JAQUELINE RIBEIRO
Redação Tribuna

-Suspeito de pedofilia detido em Corroios

Papa Bento 16 escreve livro infantil sobre os apóstolos


da Livraria da Folha

Divulgação/ Thomas Nelson Brasil
Papa Bento 16 fala dos homens que andaram com Jesus e a importância de cada um
Papa Bento 16 fala dos homens que andaram com Jesus e a importância de cada um deles
Em época em que escândalos de pedofilia ameaçam a imagem da Igreja Católica, o sumo pontífice de Roma, o papa Bento 16, escreve livro destinado à evangelização das crianças.
"Os Amigos de Jesus" conta a trajetória dos homens que andaram com Jesus, a importância de cada um deles na divulgação do cristianismo e o exemplo de fé que nos deixaram.
Publicado no Brasil pela editora Thomas Nelson com apresentação do sacerdote espanhol Julián Carrón, o lançamento chega com capa dura, papel especial e ilustrado pelo italiano Franco Vignazia.

Operadoras japonesas bloqueiam mais de cem sites de pedofilia



21 de Abril, 2011
As principais operadoras de Internet no Japão juntaram esforços para combater a pedofilia na Rede e bloquearam mais de uma centena de sites com estes conteúdosA acção foi feita no âmbito de uma campanha contra este tipo de conteúdos, promovida por uma associação local.
De acordo com a associação, o bloqueio foi levado a cabo pelas nove maiores operadoras de Internet no Japão.
A propósito da mesma campanha, os principais motores de busca locais revelaram também que as páginas bloqueadas deixaram de surgir nos resultados.

Em MS, 50 processos por homofobia aguardam julgamento


Dados do Centhro (Centro de Referência de Homofobia) mostram que em Mato Grosso do Sul, 50 processos administrativos, abertos com base na Lei Estadual 3.157/05, sobre medidas de discriminação por conta da orientação sexual aguardam julgamento desde a promulgação da lei, há quase seis anos.
Dourados Agora

De acordo com o coordenador do Centhro, Leonardo Bastos, a baixa quantidade de denúncias envolvendo a homofobia desestimula a discussão sobre o tema. Ao Campo Grande News, ele disse que outro agravante não colabora com a punição dos agressores.
“Uma vez que a homofobia não é crime no Brasil, as pessoas que são alvo de agressões verbais e físicas homofóbicas não denunciam pois a punição é branda”, destacou Leonardo.
No caso dos quatro jovens que agrediram o estudante de Artes Visuais, de 21 anos, a polícia deve indiciá-los por lesão corporal e injúria. Somadas, as penas chegam a 1 ano e seis meses.
Ainda assim, a legislação estadual prevê medidas como advertência e multa de 80 a 150 Uferms (Unidade Fiscal de Referência de Mato Grosso do Sul). No caso, quem for processado por ficar impossibilitado de assumir concurso público (no caso de pessoa física) ou participar de licitação pública (sendo pessoa jurídica).
Uma orientação que o Centhro oferece às vítimas de homofobia é registrar o boletim de ocorrência como injúria pela orientação sexual. Um segundo ponto, aprovado pelo Plano de Cidadania LGBT em fevereiro deste ano, é a inclusão do campo Orientação Sexual no registro de ocorrência policial.
“Temos que encorajar as denúncias para que a homofobia diminua. A criminalização do ato homofóbico não é o único caminho. Vale mais a pena responsabilizar o autor, fazê-lo tomar consciência de que sua atitude é incorreta”, destaca o coordenador do Centhro.
Um contraponto a uma legislação específica que proteja os homossexuais se faz com a Lei Maria da Penha, que fornece mecanismos de defesa às vítimas e de punição aos autores de violência doméstica. Neste contexto, após a aprovação da lei, o número de denúncias tem aumentado a cada ano.
No caso dos processos administrativos abertos com base na lei nº 3.157/05, a parte denunciada tem 10 dias para apresentar defesa. A vítima de homofobia que procura o Centhro conta com serviços de justiça gratuita pela Defensoria Pública, e atendimento de psicólogos e assistentes sociais
Dourados Agora
FONTE-fatimanews.com.br


Menino é queimado pela mãe por não fazer os deveres de casa

X. mostra uma das queimaduras que teriam sido feitas por sua mãe, em frente à 60ª DP, em Duque de Caxias / Foto: Cléber Júnior / Extra
Luana Trindade
Tamanho do textoA A A
As marcas pelo corpo denunciam a violência sofrida pelo menino X., de 12 anos. Mas não revelam o motivo das agressões. Foi a própria mãe do garoto — levado ontem para a 60ª DP (Campos Elíseos) pela PM, ao lado dos tios — quem contou a razão das queimaduras nos lábios e braços e escoriações na barriga, causadas por ela: o filho não fez os deveres de casa passados pela escola.
Na delegacia, assustado, o menino disse que a mãe costuma agredi-lo com alguma frequência. O cabo Lopes, do 15º BPM (Duque de Caxias), que tirou o menino de casa — onde também estavam os tios de X. — após a PM receber uma denúncia anônima sobre a agressão, disse que a mãe, que estava no trabalho, afirmou por telefone que fez isso com o filho porque “ele é mentiroso e não faz os deveres de casa que a escola passa”.
— Resolvi fazer algumas perguntas sobre Geografia para ver até que ponto a mãe falou a verdade, mas ele sabia responder tudo. Ele disse que a mãe o queimou com uma colher porque ele não deu o telefone de uma colega da escola — explicou o policial. — Ela (a mãe) queria saber se tinha dever de casa. Não é à toa que ele demonstra vontade de morar com a avó.
O delegado titular da 60ª DP, Robson da Costa, encaminhou X. ao Instituto Médico-Legal (IML), para fazer exame de corpo de delito. A mãe do garoto vai ser intimada a depor
FONTE-GLOBO.COM

"Em qualquer outra boate não teria acontecido isso"


Foi assim qeu a proprietária da Metrópole, Maria do Céu, classificou o episódio com o mascote Léo


Pouco depois da suspensão anunciada pelo Sport, o Superesportes entrou em contato com a proprietária da Metrópole, Maria do Céu. Integrante de vários movimentos contra a homofobia, a empresária ficou perflexa com a decisão rubro-negra e prometeu lutar contra o preconceito. E venceu. Abaixo, a entrevista que mudou o rumo da história.

Você soube que o mascote do Sport, incorporado pelo ator Anderson Leonardo Silva, foi suspenso pela diretoria do clube?

Meu Deus, eu não acredito! Homofobia! Eu tô passada! Se o mascote fizesse isso em qualquer outro lugar não teria acontecido nada disso. Minha gente, era um aniversário de uma criança, uma torcedora do Sport. O hino foi tocado na hora do parabéns. Então será que isso também merece punição? Eles vão querer proibir que o hino toque em alguns lugares? Eu ainda não estou acreditando…

O que você achou da atitude da diretoria?

Isso é homofobia. O Sport não viu que o Cruzeiro foi multado (no vôlei), não? Tá bonito mesmo o Sport fazendo isso, viu? O clube deveria estar preocupado em fazer o time jogar bem, o que não tem acontecido. Deveria se preocupar em fazer gols. Agora eu estou entendendo porque está essa bagaceira lá no Sport.

Vocês contrataram o ator? Como foi a festa?

A casa foi alugada para um advogado, que fez fazer a festa de sua filha lá. Era uma criança de dez anos. Eles contrataram o mascote e foi um sucesso. A casa não teve nada com a contratação. Minha filha estava na festa e ficou louca quando viu o Leão. Todo mundo estava animado tirando fotos com ele.

Eles erraram na decisão?

Claro. Isso era para ser visto como uma ótima oportunidade para o clube aumentar a sua torcida, para fazer marketing. Era para ser uma oportundade de incluir mais torcedores no clube. De educar as pessoas. Meu Deus, que absurdo!

O que mais te decepciona?


A boate é uma casa que é frequentada por torcedores de todos os times. Eu sou torcedora do Sport, mas estou muito decepcionada com isso tudo. Eles deviam prestar mais atenção no que isso pode resultar. Qualquer pessoa sensata vai olhar e julgar isso como homofobia. Nunca vi uma coisa dessas. Estou muito chocada. Torcedores que se dizem machos estão criticando o mascote por quê? Isso só incentiva o preconceito. Vou pedir a cabeça de todo mundo envolvido nisso.

Qual será sua atitude agora?

Não admito preconceito e ações que incentivam a falta de respeito. Queria ver se fosse um vídeo no shopping, num supermercado, na Avenida Boa Viagem ou numa outra boate, se eles iam suspender o mascote. Vou brigar contra isso. Não vou deixar passar. Um leão vai enfrentar o outro. Vou ligar agorinha para Luciano Bivar e ver que história é essa

“Ele vai pagar tim-tim por tim-tim”, diz prefeito de Costa Rica



Quinta, 21 de Abril de 2011 - 12:19
Prefeito de Costa Rica, Jesus Baird
Em entrevista coletiva concedida na manhã desta quarta-feira em Costa Rica, o prefeito Jesus Baird (PMDB) se emocionou e pediu desculpas à população do município sobre o episódio que envolve seu filho, André Baird, de 20 anos, que participou de agressão a um jovem homossexual em Campo Grande na madrugada da última sexta-feira.
O depoimento do prefeito durou sete minutos e não foi permitido aos jornalistas fazerem pergunta.
 
Ele parabenizou a cobertura da imprensa local, que, segundo informações, não noticiou o caso ontem, à exceção do site Costa Rica em Foco, que reproduziu matéria publicada pelo Campo Grande News. Para Baird, o site do município deu conotação política ao caso.
Sobre o filho, falou que vai colocar o “menino na linha”, mas admitiu que o caso é grave e não há como amenizar a situação.
 “Ele vai pagar tim-tim por tim-tim”, afirmou negando a conotação que está sendo dada às agressões como sendo crime motivado por homofobia, ou seja, aversão a homossexuais.
 
É um trem que derruba a gente”, afirmou o prefeito, sobre a surpresa dele e da esposa quando viram o filho envolvido na confusão, que deixou a vítima bastante machucada e André Baird com um braço engessado.

O prefeito contou que o filho foi criado em Costa Rica até os 18 anos e que, depois disso, decidiu vir para Campo Garnde, para estudar. “Até os 18 anos, quando eu mandava nele, ele não freqüentava esses bares, boates”.
 
Segundo o prefeito, o filho estava na mesma boate de onde jovem agredido havia saído, a Neo, que costuma ser frequentada pelo público gay nas noites de quinta-feira para sexta-feira, e pode ter havido uma “rixa desde lá de dentro”.

Na delegacia, ao prestar depoimento André Baird admitiu, segundo a delegada Daniela Kades, que ele e dois amigos decidiram bater na vítima porque se tratava de um homossexual. Ainda de acordo com a delegada, ele não apresentou razão plausível para a violência.
 
O jovem deve responder por lesão corporal (que tem pena prevista de 3 meses a um ano) e injúria (cuja pena é de 1 a 6 meses). O caso corre em segredo de Justiça, a pedido da família da vítima. Campo Grande News

Homem é preso acusado de estuprar a filha de 3 anos


Um pedreiro foi denunciado à Delegacia Especializada em Proteção à Criança e ao Adolescente, que após investigações solicitou prisão à Justiça

Manaus, 20 de Abril de 2011

SÍNTIA MACIEL

    Pai estupra filha de três anos
    Pai estupra filha de três anos (Winnetou Alemeida)
    Um pedreiro de 31 anos de idade foi preso na manhã desta terça-feira (19), em cumprimento a um mandado de prisão expedido pelo juiz João Lemos Sobral júnior, pela prática de estupro de vulnerável.
    O cirme, ocorrido em julho do ano passado, teve como vítima a própria filha do acusado, à época com 3 anos de idade. 
    De acordo com informações repassadas pela delegada adjunta da Delegacia Especializada em Proteção à Criança e ao Adolescente (DEAPCA), Sylvia Laureana Silva, a ma~e da criança, uma garçonete de 28 anos, teria deixado o casal de filhos, com o ex-companheiro, pois trabalhava à noite em uma lanchonete.
    Entretanto, o pedreiro era viciado em cola de sapateiro.
    "Quando ela chegou em casa percebeu o forte odor de cola e notou que a filha estava despida, dormindo na cama com o pai, e o irmão de 6 anos de idade", Ao questionar a filha sobre o que havia ocorrido na casa, a criança relatou o abuso", informa a delegada.
    Na ocasião, o pedreiro negou ter praticado o crime, além de fugir. 
    Entretanto, o acusado foi localizado por uma equipe de investigadores da DEAPCA, em uma casa da rua Doutoura Selma, no bairro Zumbi 1, Zona Leste de Manaus.
    Levado para a DEAPCA, onde foi autuado pelo crime de estupro de vulnerável, previsto no artigo 217-A, do Código Penal Brasileiro (CPB), o pedreiro negou a acusação. 
    O laudo de conjunção carnal a que a criança foi submetida à época, atestou como positivo, que a menina havia sido violentada

    Em três meses, casos de estupros aumentam 31,4% em Campo Grande





    De janeiro a março deste ano, foram 71 estupros na Capital; no mesmo período, em 2010, foram 54 casos registrados.


    Crédito: Divulgação

    Em três meses, casos de estupros aumentam 31,4% em Campo Grande
    Robson Vander Lan está sendo investigado por nove estupros em CG

     No primeiro trimestre do ano, Campo Grande registrou 71 estupros, conforme boletim divulgado pela Secretaria Estadual de Justiça e Segurança Pública, aumento de 31,48% em comparação a igual período de 2010. No ano passado, o balaço mostra que foram registrado 54 casos de estupro. Somente nos três primeiros meses do ano, a Capital ainda teve 51 homicídios.

    No boletim do ano passado, ainda consta a separação de casos de estupro antes da alteração da lei 12.015/09, que reformou a classificação de crimes sexuais, como o antigo atentado violento ao pudor, renomeado como estupro. Dos 54 casos registrados do ano passado, 49 estariam na denominação anterior.

    Em pouco mais de uma semana, já em abril, a Capital registrou pelo menos três casos de estupros, entre eles, o de uma acadêmica  da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS). 

    Em Campo Grande, dos casos de homicídio registrados, 31 foram dolosos (com intenção), 18 culposos no trânsito e dois culposos (sem intenção). No primeiro trimestre de 2010, foram 63 homicídios, sendo um culposo, 29 culposos no trânsito e 33 dolosos.

    Este ano, de janeiro a março, foram 3.318 furtos e 1071 roubos na Capital. Ainda nos três primeiros meses, a policia registrou três sequestros em Campo Grande e 1.211 casos de violência doméstica.

    A reportagem tentou falar com o titular da Sejusp, Wantuir Jacini, sobre os números do balanço trimestral, mas a informação é que ele está em uma solenidade durante o período da manhã.

    Interior

    Pelo boletim trimestral, a polícia registrou 169 estupros, enquanto no ano passado foram 136 casos. Foram 238 furtos e 737 roubos. No interior ainda foram sete sequestros.

    Em livro, Kara DioGuardi fala sobre abuso sexual e estupro

    Foto: DivulgaçãoKara DioGuardi faz revelações polêmicas em livro
    Kara DioGuardi faz revelações polêmicas em livro

    Da Redação

    entretenimento@eband.com.br

    A cantora Kara DioGuardi, ex-jurada do "American Idol", conta em sua biografia, "Helluva High Note", que foi molestada quando criança e estuprada, anos mais tarde, por um produtor musical.

    De acordo com ela, um amigo de sua família a molestou várias vezes quando ela tinha apenas 11 anos.

    "Em um certo dia, ele me levou para um balcão da sua casa passou suas mãos por todo meu corpo. Eu lembro que eu congelei e não soube o que fazer", contou DioGuardi.

    Sobre o ocorrido com o produtor, ela conta que foi nos anos 2000 após um jantar e que o acusado é muito conhecido no meio musical.

    "Depois de algumas horas, ele estava em cima de mim, fazendo força, suando e falando comigo em espanhol, nenhuma palavra que eu pudesse entender", relata a cantora.

    Outro caso de abuso sexual foi relatado. Segundo Kara, ela foi abusada por um "um artista muito bem sucedido", que era obcecado por ponografia russa e em contratar stripers para fazer sexo em sua frente.

    Os trechos do livro foram publicados no site "E! News".


    Redação: Fabio Furukawa

    Livro "monstro" celebra pai do fetichismo gay (alerta: conteúdo adulto)


    "Tom of Finland XXL" é o livro mais completo sobre a obra de um pioneiro na arte homoerótica, exposta em museus dedicados à representação do homoerotismo, como o Museu do Sexo, em Amsterdã.
    "Tom of Finland XXL" é o mais completo sobre obra de pioneiro na arte homoerótica, exposta em museus
    Reprodução
    Livro repleto de imagens eróticas é sonho de consumo de gays
    Livro repleto de imagens eróticas é sonho de consumo de gays
    Siga a Livraria da Folha no Twitter
    Siga a Livraria da Folha no Twitter

    Tom da Finlândia é o apelido de Touko Laaksonen, nascido no país em 1920 e morto em 1991. Considerado o mestre do fetichismo gay, o artista ganhou fama retratando homens musculosos em situações altamente eróticas, em tons ora em preto e branco ora em colorido.
    As imagens criadas por Tom da Finlândia compõe um universo próprio. É constante em sua obra cenas de orgias, de pênis gigantes e a retratação de um prazer intenso sob a ótica do sadomasoquismo.
    A maior parte de sua obra está compilada em "Tom of Finland XXL" uma edição de luxo, lançada pela editora Taschen e organizada pela influente Dian Hanson, responsável por outros títulos de sucesso como "The Big Butt Book" , "The Big Book of Legs""The Big Book of Breasts" e "The Big Penis Book".
    Como diz o título, Tom of Finland XXL" é um livro extragrande. Possui mais de 600 páginas e pesa 3,5 kg. O superlativo é justificável. São mais de 40 cm de altura e mais de mil imagens reproduzidas, sendo uma boa parte delas inéditas - a partir de uma extensa pesquisa na Europa e nos Estados Unidos por meio da instituição que leva seu nome, a "Tom of Finland Foundation".
    O volume abrange as seis décadas da carreira do artista finlandês e mostra também um lado sensível e romântico do autor.
    Confira outros trechos.
    *
    Reprodução
    Reprodução
    *